A ORIGEM DA COLORAÇÃO

Como cabeleireiro sei muito bem o quanto as mulheres adoram transformar o visual, mudar o corte e cor dos cabelos, mas isso não vem de agora.

A tonalização dos fios não é novidade não é mesmo? Quem nunca se viu no dilema de qual cor pintar, se faço mechas, ombre hair, loiro, ruivo, preto e por ai vai… Mas  vocês sabiam que  ao longo da história, essa ideia foi uma das ferramentas definidoras de cultura, posição social, idade e, principalmente, auto-imagem. Veja como a descoberta de formas para alterar a coloração natural dos fios se tornou um grande avanço na expressão pessoal.

COLORAÇÃO NA IDADE MEDIA.

No tempo da  Idade media as pessoas com cabelos ruivos eram mal vistas e frequentemente submetidas a suspeitas de bruxaria. Entretanto, no século 16, o ruivo vibrante e natural da rainha Elizabeth I ganhou destaque e tornou essa cor mais aceitável, pouco tempo depois as mulheres estavam enlouquecidas  avermelhando os cabelos com henna, produto já usado na época dos antigos egípcios.

 

07_30_2012_queen-elizabeth-larping1

AS PERUCAS

Durante o período barroco, as perucas cobertas de talco eram bem populares, por serem também uma forma de mudarem  a cor dos cabelos sem muito esforço, geralmente suas cores alternavam em tons pasteis, como o rosa, amarelo, até mesmo o azul. Os cabelos loiros desde aquela época já eram desejáveis, e naquele tempo soda cáustica era utilizada no lugar no nosso pó descolorante para clareá-los.

As mulheres vitorianas usavam grandes chapéus, com a parte de cima aberta, para expor ao sol forte os seus cabelos tratados. Ao mesmo tempo, cabelos grisalhos eram populares, trazendo de volta o talco para cabelos, para amplificar o efeito nos grisalhos.

Por algum tempo, nitrato de prata era usado para escurecer o cabelo, até que o excesso de uso resultou numa cor arroxeada. E foi o resultado dessa cor que levou à criação da primeira tintura de cabelo sintética.

 

curiosidades

EVOLUÇÃO

As primeiras tinturas industriais surgiram em 1863, quando o químico August Wilhelm von Hofmann descobriu as propriedades de coloração do PPD (parafenilenodiamina)”. Um marco importante nesse setor veio em 1907, quando Eugene Schueller criou e comercializou a primeira coloração permanente oxidante, capaz de clarear a cor natural dos fios, além de escurecer os brancos. Foi a partir daí, que a indústria de cosméticos acelerou as pesquisas e desenvolveu produtos cada vez mais eficientes e práticos para nossa alegria, como Shampoo tonalizante e creme tonalizante permanente, que agia ainda mais rápido. Depois disso não parou mais, e hoje temos uma gama de diversos produtos e cores para cabelo, pele corpo e por ai vai..

 

Gostou? Para receber mais informações da história do mundo da beleza como essa, não deixe de visitar o blog.

Até o próximo post!!!

FacebookTwitterGoogle+

Drop a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *